• Adriana Moura

Visitas ao Recém-Nascido & Mamãe.


A maternidade muitas vezes é um lugar solitário.


Gostamos muito de julgar o próximo ao invés de nos colocarmos no lugar dele. Muitas vezes porque tivemos uma gravidez e um pós-parto super tranquilos, achamos que aquela amiga ou parente também os terá. Muita gente se cansa dos papos sempre repetitivos sobre coisas do bebê. Mas ninguém se lembra que esse tema tem ocupado espaço na vida daquela mulher e às vezes ela precisa falar sobre isso, pois na maior parte do tempo não tem ninguém para ouvir.


Minha recomendação: Faça uma visita!


Antes de perguntar sobre o bebê, pergunte sobre a mamãe. Abra espaço para ela te contar realmente como tem sido a gravidez e a maternidade, acolhendo os enfrentamentos que muitas vezes a gente nem imagina que existam. Chame-a para fazer alguma coisa, para algum programa juntos. Ofereça-se para estar junto dela da forma como ela consegue (porque o cansaço pega mesmo, tanto física como mentalmente).Gravidez e maternidade são períodos de mudança, transformações… Às vezes a gente se perde no caminho. E precisamos de quem nos ama por perto para nos reencontrarmos!


O bebê nasceu e começa aquela enchente de amigos, colegas de trabalho e familiares querendo fazer uma visita. A motivação é sempre o amor e o carinho pela mãe, pai e bebê, contudo, o efeito da visita pode ser outro: mais sobrecarga e tarefas para uma mãe que já está cansada o suficiente.


Por tudo isso, procurei reunir aqui algumas dicas que podem ser úteis quando forem visitar a família:

  1. Levar um prato, por exemplo um empadão ou quibe, já prontos só para assar, ou uma torta de legumes (quando ligar e falar da visita aproveite e pergunte se ela está com alguma restrição alimentar ou se está com vontade de comer alimento em especial).

  2. Conhece bem sua amiga? Entre em contato com a manicure dela para saber se já existe uma agenda elaborada pela mamãe, e quem sabe dar esse presente para ela. Com certeza ficará muito feliz. Mas, lembre-se de se certificar que ela terá com quem deixar o bebê ao fazer as unhas. Você mesma poderá dar esse suporte, se preciso.

  3. Dependendo do caso ofereça-se para levá-la na primeira consulta do obstetra/pediatra.

  4. Ajude, se possível, com as compras da casa e com o cardápio semanal até que ela esteja disposta para sair. Muitas vezes a família mora longe e ela só poderá contar com você ou com os empregados caso os tenha.

  5. Se for o caso, leve o filho mais velho à escola. Isso já ajudará muito a mamãe.

P.S.: Muitos podem estar se perguntando: cadê o pai e onde ele entra nisso tudo?


Cabe lembrar que o pai ficará em casa de 05 a 20 dias pela licença paternidade. Porém, nem todos os pais são iguais e assim com há aqueles que participam ativamente, também há os que não querem, não sabem ou não podem ser mais ativos no cuidado com a criança e com a mamãe. Novamente, não nos cabe julgar ninguém. E nesses casos, mais do que em quaisquer outros é importante que a mãe possa contar com as verdadeiras amigas.


#Maternidade