• Adriana Moura

Plano de Parto


Hoje falaremos sobre planos de parto, um assunto polêmico, complexo e que afeta médicos e pais. A matéria está bem completa e espero que apreciem.


– O que é o Plano de Parto?


É uma lista de itens relacionados ao parto, sobre os quais você pensou e refletiu. Isto inclui, mas não necessariamente se limita a escolher onde você quer ter seu bebê, quem vai estar presente, quais são os procedimentos médicos que você aceita e quais você prefere evitar.


Nos EUA, onde começou a ser difundido, o plano funciona como uma carta de intenções, onde a gestante diz como prefere passar pelas diversas fases do trabalho de parto e como gostaria que seu bebê fosse cuidado após o nascimento.


No entanto, penso que o maior valor do plano de parto é justamente propiciar uma maior reflexão e compreensão sobre o tipo de parto que você prefere. É um exercício que pode ajudá-la a definir aquilo que é importante para você e, com esta informação em mãos, fazer com que esteja mais bem preparada para conversar com seu médico. Não se trata, portanto, de uma lista de ordens, mas de um ponto de partida para a conversa.


– Por Que Fazer?


Os casais brasileiros estão percebendo cada vez mais que os médicos e profissionais da saúde bem-intencionados nem sempre têm respaldo científico que sustentem as práticas obstétricas comuns e que muitas dessas práticas são adotadas simplesmente por serem parte de uma tradição médico-hospitalar.


Nos últimos quarenta anos muitos procedimentos artificiais foram introduzidos, de modo a transformar o nascimento de evento fisiológico natural em um complicado procedimento médico no qual todo tipo de droga é usado, todo tipo de procedimento é aplicado, muitas vezes desnecessariamente e alguns dos quais potencialmente prejudiciais ao bebê e até à mãe.


Está cada vez mais claro que todos os aspectos dos cuidados médicos hospitalares tradicionais no Brasil devem ser revistos e questionados criteriosamente sob a luz do respaldo científico em relação aos possíveis efeitos sobre o bebê e a parturiente.


A gestante tem o direito de participar das decisões que envolvem seu bem-estar e o do bebê que ela está gestando, a menos que haja uma emergência médica que impeça sua participação consciente. A mãe tem o direito de saber exatamente os benefícios e prejuízos que cada procedimento, exame ou manobra médica pode provocar a ela e ao seu bebê.


Esses detalhes podem fazer uma grande diferença para o seu parto, tornando-o uma experiência mais intensa e enriquecedora para toda a família. Analise com cuidado junto ao seu parceiro e explique ao seu médico o quanto elas são importantes para você.


Você pode encontrar um exemplo de plano de parto clicando aqui.


#Gestação #Maternidade #Dicas